Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

quinta-feira, julho 30, 2009

nota: zunir

Abri olhos a custo, entamarelados pela necessidade de sacudir o torpor do sono recente. Sono de onde fui expulso pelo zunir odioso de um invisível inimigo. Seguiram-se longos minutos de resmungo interior, almofada em riste e um perseguir de vazio e paredes pintadas de branco até à localização e extermínio do perturbador da paz.