Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

sexta-feira, julho 31, 2009

nota: estouro

O selvagem entusiasmo da experiência da comunhão com a natureza leva-os, qual estouro de manada em filme de caubóis, a atropelar a pacata existência de uma excursão de mal-me-queres à primavera de 99.

quinta-feira, julho 30, 2009

nota: zunir

Abri olhos a custo, entamarelados pela necessidade de sacudir o torpor do sono recente. Sono de onde fui expulso pelo zunir odioso de um invisível inimigo. Seguiram-se longos minutos de resmungo interior, almofada em riste e um perseguir de vazio e paredes pintadas de branco até à localização e extermínio do perturbador da paz.

quarta-feira, julho 29, 2009

nota: amontillado

Alfredo, pedreiro, ficou encarcerado atrás da alvenaria plástica que o filho erigiu à sua volta usando os Legos oferecidos pelo tio (emigrado nas Franças). Tinha adormecido com o Poe na barriga e apenas a vertigem multicolor do emparedamento o devolveu à realidade. Foi salvo pela falta de paciência da esposa que avançou contra a construção, aplicando sem parcimónia a deliberação da Câmara sobre empreendimentos sem alvará.

terça-feira, julho 28, 2009

nota: gume

João, talhante de profissão, olhou com um sorriso grave o gume da sua vida, antes de atalhar a eito pelo maralhal humano que lhe tolhia os passos à saída da Repartição de Finanças.