Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

sábado, novembro 22, 2008

nota: outro tipo de ornitólogo

Alfredo, o ornitólogo cego, perdeu o emprego como afinador de pianos. A menina Emília, vizinha do 3º esquerdo, sugeriu-lhe que fala-se com o Dr. Estevão, que não era bem doutor mas obteve o grau de forma automática pelo sistema hierárquico e um qualquer código secreto de tratamento deferencial promovido pela Ordem das Secretárias. Alfredo e Estevão descobriram que já se tinham conhecido uma vez, quando o primeiro foi afinar o orgão-cocktail que o último adquiriu a um viciado em Sartre, uma história esconsa que não é para aqui chamada. O novo emprego de Alfredo levava-o a passear numa floresta de máquinas enjauladas em treliças metálicas, devidamente protegidas da interacção humana excepto da destrutiva acção do aposentado oficial da Força Aérea Americana Murphy e do Engenheiro do Exército Francês Carnot.

O trabalho de Alfredo era então passear inocentemente nos corredores, ou postar-se na sua torre de vigilância (que mais não era que uma velha cadeira de juiz de andebol) e detectar o canto do cisne dos mecanismos rotativos que albergavam as infindáveis sequências de zeros e uns codificando os sistemas de ponto cruz que a menina Emilia ia fazendo todas as noites para vender como enfeites de encosto na loja de personalização do Sr. Cunha, viciado em combustível de elevado nível de octanas e grandes altifalantes de feira.