Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

terça-feira, agosto 28, 2007

nota: de um rascunho de manifesto encontrado numa toalha de papel

Soltem os pequenos selvagens no meio da humanidade. Deixem-nos perfurar e rasgar as paredes com as suas perguntas inocentes. Beba-se dessa fonte que faz brilhar os olhos de maldade ao encontrar o paternalismo do aceite. Sim, sim, esse elixir mágico que mantém o espírito rebelde, cru, pronto a rasgar as bonitas vestes que recobrem a tacanhez.

sexta-feira, agosto 24, 2007

nota: a asneira

a primeira asneira de todas foi alvitrar que "havia coisas com valor intrínseco". a partir daí, só se podia descambar.

sexta-feira, agosto 03, 2007

nota: números

bêbado, sob a vertical do poste público de engatar traças, cantava desalmado a perda do atacador de uns ténis de velcro.