Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

segunda-feira, junho 11, 2007

nota: o édito

"Eu cá não acredito em nada disso", proclamou a quem o quis ouvir, alardeando ao vento morno da tarde aquele édito descabido. Uma mão mais paciente puxou-lhe a aba do casaco, intencionando a flexão involuntária dos joelhos e correspondente assentamento no banco do jardim. Ele deu um sacão, atirou-se para a frente e pairou momentaneamente no ar, agarrando-se a nada antes de estacar, hirto, frente à menina da Sr. Gertrudes que o olhava de frente, algo surpreendida: "Vais a algum lado?", "... !", "Podes ajudar-me a apertar os sapatos?". Resumindo, para grandes espasmos pequenos remédios.