Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

quinta-feira, novembro 30, 2006

nota: Acção Artística Continuada no Tempo e abrangendo dois Séculos

O Sr Afonso esfregava as mãos, naquele estado peculiar do miúdo traquina que está quase a concretizar O Grande Plano. Pelo binóculo espreitava o vizinho do prédio em frente, um intelectual francês ocupado a escrever uma história da "Arte como forma de acção no séc. XX". Nunca tinha ido muito à bola com a figura, um tipo esquálido, sumido, que passava na mercearia e não dava muita conversa. Só a custo tinha descoberto o propósito da existência da personagem e, mais importante ainda, viria a revelar-se, o seu método de trabalho.

O tal fulano não era realmente um francês puro, tinha 1/4 de sangue alemão (de um Ulano que passou pela Alsácia-Lorena na guerra de 1870 e aí deixou algo de si). Àquela distância temporal o efeito da contaminação genética, ao invés de se diluir, actuava como no braço mais distante da alavanca. O francês progredia assim metodicamente pelo seu manuscrito fora, engolfando com precisão cronométrica factos e acontecimento no mais rígido sequenciamento cronológico.

O Sr Afonso, além de merceiro, cultivava um Dadaísmo Surrealista forte, da corrente dos sabotadores pelo pastiche. O outro, consequentemente, não lhe caía no goto. E decidiu agir. 30 segundos antes da meia-noite da passagem de século accionou um pequeno rádio-emissor. As ondas, viajando milimetricamente, accionaram vários dispositivos de índole eléctrica, provocando uma notória comoção no tecido da cidade. Com um segundo botão desencadeou o que viria a ser chamado "Acção de Choque" nos periódicos do dia seguinte: as ondas aplicaram-se como duas placas de reanimação por electro-choques nos mamilos sensíveis de uma jovem adolescente. O francês, boquiaberto, contemplava o tremor ondulante da cidade convulsa, agarrando-se à mesa de carvalho da melhor tempêra nacional, emprestada pela sua senhoria e secreta apaixonada.

O Sr. Afonso esfregava as mãos de contente, tinha provocado a sua "Acção Artística Continuada no Tempo e abrangendo dois Séculos" (como dizia o afixo pontilhado no ar por um avião de anúncios de fumo contratado para o efeito) e ao mesmo tempo provocado uma cisma no trabalho do francês. Como catalogar o acontecimento? Acto do séc. XX ou acção no séc. XXI? No dia seguinte, o sorriso do Sr. Afonso desapareceu. Com o susto a filha deu à luz um bébé 1/2 português, 1/2 francês e com umas réstias de sangue alemão. O Kaiser, no seu mausoléu, esboçou um sorriso.