Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

sexta-feira, maio 12, 2006

nota: aterragem forçada

caíu sobre a linha do horizonte. longa e fumarenta trajectória parabólica, um roncar soluçado, ponteando o céu. o coice repecurtiu-se, abalando o equilíbrio precário da aldeia. após a surpresa, duas reacções: aqueles que deram às vilas-diogo e os outros, incautos ou temerários, que se aproximaram do bólide celeste. à distância respeitosa das coisas fantásticas viram, regurgitando dos escombros, duas figuras sairem a correr, uma atrás da outra, largando imprecações. mais tarde, ao cair da noite, era ainda possível ouvi-los, já juntos, na taberna, acamaradados pela malta através daquela incompreensível amizade que se devota
aos desconhecidos que nos aterram no quintal.

1 Filetes:

At 9:38 da manhã, Anonymous João Esquecido said...

=) gostei!

 

Enviar um comentário

<< Home