Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

terça-feira, dezembro 20, 2005

nota: o coelho

andava atrasado. de um lado para o outro, a correr, assim pró despenteado, mas atrasado, num sumiço de horas que não chegavam. no fim de contas também ele não chegava a lado algum, às vezes ainda parava mas não o tempo de perguntar "estou atrasado para quê?" e depois voltava a correr, tinha recuperado o fôlego e lá saí ele a gastá-lo outra vez que "para a frente é que é caminho". a história não acabou mal porque tropeçou num cartaz que dizia que tinham cortado a cabeça à rainha e aí já pode ir atirar pedras aos pombos debaixo dos aplausos dos putos da E.S. 32.

p.s.: não está morto, andava a dormir. grande abraço, K.