Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

quinta-feira, outubro 27, 2005

nota: viragem

um dia o homem parou de andar e decidiu olhar para trás. o trilho sinuoso desmanchava-se entre a areia, uns passos varridos pelo vento, outros sobressaindo do chão, resistindo pela força de vontade. sentou-se e aguardou. quando o dia morreu, soergeu-se e prosseguiu, tendo esmagado atrás de si a memória, ficando sem referências na marcha cega para adiante.