Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

terça-feira, junho 21, 2005

nota: queda

depois de atingido o avião deslizou pelo céu sobre uma rasto de fumo negro. dentro, o sangue quente jorrando mergulhava o piloto num estado de morna sonolência, a dor anestesiando os sentidos. ao fechar dos olhos a máquina fundiu-se com ele, explodindo e projectando a sua existência sobre os campos gelados da estepe. um pequeno e fútil acto de criação coroando o desperdiçar da existência.