Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

segunda-feira, maio 16, 2005

nota: anis escarchado

mirou a garrafa de um lado e do outro, intrigado. no interior, uma ramo de uma planta, esguio, terminando em varetas de guarda-chuva reviradas ao contrário, tinha assente arrais num promontório de cristais. estes iam crescendo, lentamente, com o vagar de quem não vai a lado algum, embebidos numa existência de visco doce. um dia a avó achou que ele já tinha idade para conhecer o segredo e tirou do armário um cálice para ele. e foi debaixo do sorriso dela que ele franqueou essa porta dos sabores quentes e doces dos licores.