Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

quinta-feira, março 03, 2005

nota: regresso

mergulhou os dedos na escuridão do quarto, tacteando o ar. ao bater com os joelhos na borda da cama, inclinou-se e sentiu a surpresa nua da sua pele. correu então o corpo desnudo até à nuca, afogando-se nos longos cabelos, crispando os lábios num sorriso, embalado no rumurejar suave da respiração de quem dorme em paz.