Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

quarta-feira, março 16, 2005

nota: miragem

um fio fino, de fumo ondulado, foi crescendo e transformou-se num homem tisnado pelo sol. o grande lagarto viu-o da sua rocha, pesando a sua imobilidade contra a distância àquela figura. lá em baixo, o homem parou e estendeu um pequeno tapete sobre a areia. sentou-se e ficou imóvel, tão imóvel como o lagarto. já o lagarto se tinha movido para um poiso mais fresco quando nova figura se foi materializando. no fim, além da definição ganha pela proximidade, a nova figura fundiu uma lâmina de metal sobre a primeira, que silenciosamente tombou.
(onde estás?