Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

quarta-feira, março 09, 2005

nota: limpeza

deu um tiro na cabeça. todas as terceiras quartas do mês era aquilo. a mulher conformou-se à mania, ele dizia que era para limpar as ideias. para arejar. o vizinho do quinto esquerdo preferia atarrachar o espanador ao berbequim e aí ia ele, era um ver se te avias, as ideias saiam com cera e tudo, enroladas como um grande esparguete. mas quanto àquela história dos tiros, já circulava uma petição. o homem que tivesse paciência mas desencadeava uma verdadeira cacafonia: acto contínuo ao disparo saltava a tampa aos vinte e três bebés do prédio (de idades variáveis mas de potência vocal agrupada equivalente a dois comícios dos valentes, daqueles de 75) e ninguém aguentava a gritaria. ele, claro, nem se apercebia. o efeito da regular limpeza era um vazio cerebral que chupava a atenção dos ouvidos e o punha surdo nas quatro horas seguintes.