Atum Tenório

Sobre as coisas que para aí andam e nos caem à frente.

domingo, dezembro 19, 2004

postal: G., Fev. 57

Amigo K.:

Perdi-me aqui nos confins de G. e, visão insólita, no meio deste deserto, um marco de correios. Obviamente, depois de tanto tempo sem notícias, é de aproveitar. Assim pauso e penso. Mas não com muita força que é para n aleijar a visão. Coisa fantástica, estarei só até vir o guia, pequeno homem atarracado com que enceto proveitosos diálogos mudos onde discutimos as nuvens. Daqui a cinco meses devo ter finalmente elaborado o relatório da expedição e, três depois, estaremos de novo juntos a beber café e olhar o Tejo. Agora daqui, meto ao bolso um pouco disto tudo, para talhar em cima da mesa nesse esperado encontro. Um abraço q o papel falta,
J.N.